5.12.13

Que sorte tem Kabir, cercado por toda esta alegria, cantando no seu barquinho

Conta-me, Oh Cisne, a tua antiga história.
De que terra vens,
Oh Cisne? para que margem voas?
Onde pousarás para descansar,
Oh Cisne, e que procuras?

Ainda esta manhã, Oh Cisne, desperta, levanta-te, segue-me!
Há uma terra livre da dúvida e da tristeza,
Onde o terror da morte já não impera.
Lá, florescem os bosques em primavera,
e a fragrância 'Ele sou Eu' nasce no vento:
nela, imerge profundamente a abelha do coração,
e não deseja outra alegria.

Kabir 
(Adaptação X.)



Ravi Shankar & Anoushka Shankar, Raag Khamaj