11.2.15

Urgência, inevitabilidade

Paul Klee, No núcleo, 1935

Recorro a uma formulação de Enrico Fermi para ilustrar algo que sinto profundamente, de forma nuclear: se os resultados confirmam a hipótese, isso é uma medição, mas se a contrariam, então é uma descoberta. Digo eu: a essência da vida encontra-se no inesperado, no divergente, na descoberta, precisamente. Mas, e isto sim, atinge-me no centro da alma: na urgência, na inevitabilidade até, de descobrir essa diferença, tendo aprendido, sabendo, que apenas nela encontro a plenitude.