11.5.15

Caderno Diário

Estou chegando quase... Desperto na segunda e sei que o meu corpo já cá está, e sei-o porque sinto a vontade do pequeno-almoço, de assaltar o frigorífico, de ouvir estalar a torradeira, de abocar uma maçã de casca polida. Sei-o, vejo um céu de cor diferente da que tinha quando me deitei: o dia mudou de cenário, alterou a cara, incrementou um número, diminuiu outro. Mas a cabeça ficou no domingo, no sol avassalador da tarde, no ócio do café tomado sem tempo, no debicar de livros entre os passos em volta na cidade. Estou a chegar à semana. Mas, por enquanto, quase.