23.5.15

Caderno Diário

Seriam umas oito horas quando o ouvi. O ouvido aguardava havia já muitos minutos quando o trinado irrompeu pelo quarto. Durou (estimo) um minuto: prova de vida; estou aqui; alguma coisa sobre que escreveres. Como um postal, isso, um postal, daqueles à antiga, em que o carteiro lia antes do destinatário: Espero que este vos encontre de boa saúde; nós por cá todos bem; saudades; um abraço. O pássaro já se viciou na arte da concisão: um minuto basta para dizer o que lhe voa na alma. Este pássaro é o meu alter ego. Um dia destes, já nem sei qual é qual.