22.9.16

Veroño

O calendário pode assinalar a mudança, mas eu agarro-me ao verão por mais um bocadinho. Ainda noto sinais dele na sombra que projeto nos arbustos abertos em verde, na esplanada que me acolhe e me mantém o café quente enquanto me alongo nas escritas inconsequentes, no coral dos pássaros que ouvi agora mesmo. Adoto um termo castelhano para esta transição, até o mantenho no original: veroño. Os outros que se mudem para o out(r)ono. A minha estação é o veroño.