24.1.17

Porque leio blogs

No ecrã desfilam, sempre que estou disposto a olhar para ele, dados, números, indicadores, quadros de bordo, eventos, mudanças, inovações, histórias, antigas e novas, fontes informadas, conclusões fundamentadas. À distância de uma rajada de teclas tenho mais do que tudo o que quero saber sobre o mundo.

Quando preciso de captar sentimentos como quem sacia a sede por um cucharro mergulhado na fonte, beber da torrente de emoções que emergem em permanência do facto de sermos humanos, fortes ou frágeis, encontrados ou totalmente perdidos, lutando a cada momento para descobrir palavras que deem forma visível aos intermináveis tornados internos que nos assolam a nós, a todos os que nascemos com polegar oponível aos outros dedos e um cérebro incontrolável, a todos os que de outra forma mais não somos que uma sucessão de dados num qualquer ecrã, leio blogs.