13.1.17

weblog [retrato de jovem com porta em fundo]

quando de manhã me mostraram aquela máquina fotográfica, pensei: não, não lhe colocava uma lente destas. usaria a minha lente mais luminosa e sairia por aí, retratando a eito. foi de tarde que vi uma máquina igual, com uma lente também luminosa, apontada a uns cabelos de fogo que enquadravam uma cara com olhar demasiado absorto. fixei o contraste dos cabelos cor de fogo com a porta azul. posso imaginar o fotógrafo apaixonado [juraria que o vi nos olhos dele] que saiu a fotografar a eito os cabelos de fogo. os cabelos justificam a foto. mas só a paixão justifica aquela porta azul, na verdade. o olhar absorto, não o sei justificar.