20.2.17

A chave perdida

Perdi a chave da máquina do tempo. Hoje apetecia-me rodar a agulha e saltar para o meu próprio passado. Mas sem chave estou condenado a permanecer para sempre no meu presente. Condenado a prisão perpétua, sem hipótese de comutação.