10.2.17

A temática da secura digital

Venho de descobrir que o retângulo de superfície vidrada por onde passeio os dedos quando quero que o cursor se mova no ecrã do computador de colo, é sensível à secura digital, isto é, à aridez da pele que cobre a carne que cobre as minhas falanges. O dito cursor hesita, fica titubeante, parece ébrio logo pela manhã. O que julgava ser problema de foro tecnológico, é afinal de foro humano. Sou infrequentador, desculpar-se-á o neologismo escusado, de blogs que aconselham as gentes sobre a temática da hidratação cutânea, mas reconheço agora quanto tenho subestimado a premência do tema. Ato de contrição. Vou retratar-me e, quem sabe, ainda surpreendo a leitora escrevendo aqui minudências inconsequentes sobre soluções [problemas já todos temos, pois não ?] de humidificação epidérmica. Logo eu, leitora, logo eu.