19.3.17

Precisamos de escritores que se lembrem da liberdade

Acho que nos tempos difíceis que se aproximam quereremos as vozes de escritores que possam ver alternativas a como vivemos agora e possam ver para lá da nossa sociedade atingida pelo medo e pelas suas tecnologias obsessivas, para outras formas de ser, e até imaginar alguns fundamentos reais para a esperança. Precisamos de escritores que se lembrem da liberdade. Poetas, visionários, realistas de uma realidade mais ampla.

[Ursula K. Le Guin, no seu discurso de aceitação do National Book Award de 2014. Tinha, então, 85 anos.]