19.4.17

Um green que era só nosso

Não sei se foi com ele que aprendi o humor que existe no silêncio inesperado, introduzido com a exatidão de uma linha de compasso. Mas sei que foram muitas as partidas, muitos os anos, em que praticámos esse jogo curto, num green que era só nosso, quero crer. Um dia, voltaremos a jogá-lo. Ainda não, ainda não, mas retomaremos o jogo interrompido como se nunca o tivesse sido, quero crer também.