16.5.17

A pedra que está em excesso

Tiro apenas a pedra que está em excesso, dizia Miguel Ângelo, para encontrar a escultura que está lá dentro. Dou por mim a procurar, nos textos que leio, as ideias que sobram quando subtraio as camadas adiposas de verbosidade que as ocultam. O prazer que retiro da leitura é, creio, semelhante ao do arqueólogo quando espana a terra do artefacto que acabou de desenterrar e vê o primeiro raio de sol refletido no metal brilhante como no dia em que saiu da forja.