13.6.17

Da pastorícia em Vila Meã e Nova Iorque

Ao ler a opinião de Susan Sontag face à escrita aforística: «Escrever aforismos é assumir uma máscara - uma máscara de desprezo, de superioridade», fico a pensar que Susan Sontag não gostaria de ler Agustina. Mas Sontag descreve os aforistas de forma aforística, ou seja, como Agustina o faria. Já Agustina chama ao aforismo uma pastorícia cultural. A diferença é que Agustina admite que pastoreia e gosta de pastorear, e Sontag pastoreia, mas proclama: «Que horror. Pastorear, eu?» É diferente nascer em Vila Meã ou em Nova Iorque, no que toca à pastorícia.