18.6.17

Um assombro antigo

(...) o fulgor do fogo  / Que nenhum ser humano pode olhar sem um assombro antigo (...)

[Jorge Luis Borges]

Assombro, horror, comoção: antigos sim, mas atuais, presentes, imediatos, como facas finas cravadas na nossa consciência coletiva.