30.6.18

Inolvidáveis

Frente ao desmesurado ecrã da casa d’Andrada, onde vinte e dois homens de calções se digladiam pela posse temporária de uma bola, o entusiasmo nacionalista do ilustre J. Eustáquio atinge níveis perigosamente cardíacos, diria tonitruantes. No canto, a dulcíssima Orchidée lê Duras, entre olhares rápidos ao ecrã do telefone. De vez em quando um riso finíssimo voa-lhe dos lábios. Face ao momento dramático que aqui se vive, não sei, não faço ideia, porque ri a subtil e indefectível leitora, neste gigantesco salão apenas iluminado pelo ecrã grande, pelo pequeno candeeiro de leitura e por dois ínfimos telefones.