4.8.18

Muitas cruzes

«No retreat», anunciava a t-shirt dele. Tinha porte de veterano de muitas batalhas, traje também. Ela, alta, de cabelo claro e olhar doce, parecia deslocada, noutro hemisfério, daquele passo marcial. Eu, parado em adoração a um dos meus quadros favoritos, a que ele deu uma mirada rápida, fazendo decerto uma cruz mental num qualquer quadro de marcações. Ela ainda ensaiou um abrandamento, mas sem efeito. Faltavam trinta salas, pelo menos, a uns dez quadros por sala. Faltavam ainda muitas cruzes no quadro. Abrandar era como retirar, um espaço em branco, uma derrota. Inadmissível.