2.8.18

Suave invasão

Eu estava aqui a pensar escrever à leitora, sentado no bar, com vista para o lobby, o gin já a meio copo, para dar notícias de que a invasão asiática da Europa tinha terminado às dezoito horas, pelo menos vista deste ângulo em que me encontro, quando, decerto para me desmentir, eis que surge a invasão das vinte e duas. Assim não se esgote a arte do formidável barman e o seu gin de excelsa destilação e talvez presencie a invasão das quatro da manhã. Não me parece que exista motivo de ralação, contudo. A Europa é uma minudência inconsequente para estes numerosos mas pacíficos invasores. O objetivo da viagem, diria eu, é apenas continuarem a olhar para o ecrã dos seus gigantescos telefones num conjunto de coordenadas diferente daquele onde já o fazem diariamente. Objetivo que estão a cumprir dedicada e meticulosamente, como no seu quotidiano, também. A ocidente, nada de novo, portanto.