20.10.18

Indiferenças

Indiferente à epifania da semana, a avó, sentada junto à porta do café, pede um beijo à neta, e noto-lhe a tristeza no olhar perante a indiferença da petiza, supremamente ocupada a esmigalhar um queque.

19.10.18

Deixa

Deixa que cuide de ti
como o jardineiro da orquídea,
como o pescador da rede,
como o afinador do piano,
como o copista da folha,
como o beijo do arrepio.

18.10.18

O erro de Darwin

«O homem é o elo fraco da evolução das espécies. Milhões de anos de iterações, todo o tempo do mundo para si, e sai isto», diz Tia Esmeralda, enquanto se escuta uma tosse seca, com notas de pedido de compaixão, em fundo. É Vicente, o amigo especial de Tia. «Tu escusas de fazer essa cara de agnóstico, J., porque eu bem te conheço, não és diferente dos outros, todos do lado errado de Darwin.»

Eu abro a boca em defesa da minha honra, mas logo a Tia avança como Montgomery em quarenta e dois, cerceando-me o verbo, como se fosse uma linha de manutenção, «Olha o Vic, que nem doente a sério está, com aquela tosse postiça e parece desde ontem prestes a pedir a extrema-unção. Já foi de urgência ao médico, que lhe receitou ibuprofeno para a pieguice. O Old Vic, que fica transtornado quando lhe chamo isto, morre de cada vez que se constipa. Vale-lhe ressuscitar invariavelmente ao terceiro dia, senão eu encomendava velório e carpideiras a cada semana, pelo menos. Tu escusas de fazer esse cara, J.»

«Um guerreiro constipado é um guerreiro abocanhado, isso sabe-se desde o tempo dos tigres de dentes de sabre», diz Vic do seu sofá de padecimentos, na outra sala. «Engripou, o bicho o mastigou, lá diz o sábio».

«Queria ver-vos a darem à luz, isso é o que o teu sábio não diz», atira-lhe a tia, em bola curva. «Fossem os homens a ter filhos e a humanidade há muito que estava extinta. Ai que dói tanto ter filhos, deem-me antes um ibuprofeno que me morro», diz a força da natureza, masculinizando a voz. «E isto é que Darwin nunca equacionou. E como não equacionou, errou, lá diz o sábio, não é Old Vic?», assesta, lesta, a Tia. «J., tu não faças essa cara.»