28.9.20

A complexidade


Gosto de superfícies brancas, de luas de prata, de linhas de horizonte, de formas mínimas. Como o escultor, procuro retirar o excesso de pedra para revelar a escultura que sob ela se oculta. Mas quanto mais simplifico aquilo de que me rodeio, mais se complexifica aquilo que me rodeia. Como se no universo uma lei da complexidade se abatesse sobre mim: a complexidade mantém-se constante, quaisquer que sejam os caminhos da simplicidade que eu prossiga. Se um dia atingir um estado de ascetismo, a complexidade do meu entorno tenderá a ser épica, assim o prevejo. Talvez então me santifique. Ou mande tudo às urtigas. Ou ambos: nada impede que um santo não seja também um pragmático.


27.9.20

Faltas

 

Por mais que tenhas aprendido 

com os livros,

um espaço vazio 

na tua estante,

não te prepara para

um espaço vazio

na tua noite.


[Alfredo Serras]